Exotic Bully

Conceito de Raça Pura Regras para Registro


Há alguns anos um “novo tipo” de American Bully vem surgindo, cães com características mais “Bulldogs” que os American Bullies originais, essas grandes mudanças no fenótipo da raça se devem a constantes inserções de outras raças de cães do tipo “Bull”, inserções estas amplamente conhecidas no meio dos criadores, porém que dificilmente saberemos exatamente quais cães e quando foram introduzidos, pois a grande maioria destes animais não foi adicionada em Registros Genealógicos.

As inserções foram tão constantes nesses últimos anos, os cães tornaram- se tão afastados do padrão original proposto pelo American Bully, que um conflito inevitável dentro dessa raça recaiu sobre os clubes, proprietários e criadores. Concluímos desta forma, que a saída seja a de compor uma nova raça, com características próprias. Os então, apelidados carinhosamente de “exotics” pelos criadores, agora podem seguir seu próprio caminho, com milhares de admiradores pelo mundo.

A IBC resolve nesse momento escrever um padrão com as alterações evidentes que encontramos no fenótipo desses cães, e ainda nessa etapa, permitir a inserção de outras raças em seu livro genealógico. A fundação da maioria dos “exotics” de hoje pode ser atribuída ao American Bully, Bulldog Frances, Olde English Bulldog, Shorty Bull e Bulldog Ingles.

A IBC objetiva com a separação dessas raças:

  • Uniformizar a raça American Bully, mantendo os cães com seu padrão original.
  • Nos “Exotics”, estimular os criadores a introduzirem informações genéticas fidedignas em nosso Registro Genealógico; NÃO precisando mais omitirem, mentirem ou se utilizarem de recursos como o “Registro Inicial” para introduzirem exemplares a essa nova raça.

A IBC aproveita para incentivar os criadores a escolherem os melhores exemplares a serem introduzidos nesse novo pool genético, pois a história da cinofilia já mostrou que quanto maior a aparência de Bulldog, juntamente são agregados problemas de saúde, os criadores devem ter como objetivo produzirem cães geneticamente saudáveis, visando a saúde, tipo e temperamento.

A IBC escreve um padrão pra essa nova raça, levando em consideração o bem estar animal, sem visar cães tortos e com problemas de saúde. O padrão será revisado ao longo dos anos, seguindo a evolução da raça.


DESCRIÇÃO GERAL: O “Exotic Bully” ideal é um cão largo e compacto, com uma cabeça grande e poderosa, com corpo robusto e musculoso. O temperamento é muito estável, tornando-se um companheiro leal como um membro da família. Os animais desta raça gostam de agradar seus donos, são muito afetuosos com seres humanos e sociáveis com outros animais. São cães de companhia.

CABEÇA: Deve ser grande, larga e bem desenhada, a circunferência da cabeça deve ser igual ou maior que a altura do cão na cernelha.

Vista de perfil, a face é curta do occipital à trufa, o stop deve ser bem marcado com uma testa alta e levemente enrugada. A face de frente mostra arcos zigomáticos bem desenvolvidos e masseteres pronunciados. Distância entre os olhos: devem ser moderadamente separados, mas sem exageros. A cabeça é levemente enrugada.

  • Cabeça estreita ou que se pareça muito pequena para o corpo é uma falta.

FOCINHO: Largo, profundo e curto, com rugas moderadas. A mordida deve ser prognata, porém os caninos inferiores não devem sobressair. Narinas muito estreitas e rugas sobre a narina não são desejáveis. Cães mostrando extremas dificuldades respiratórias são indesejáveis e não devem ser encorajadas. Focinho muito longo são considerados faltas.

TRUFA: Larga com narinas abertas. O nariz não deve ser embutido entre os olhos. O nariz deve ter uma pigmentação sólida, todas as cores são aceitas. Ausência total de pigmento é uma falta desqualificante.

MORDEDURA: A mordida deve ser prognata, os dentes não devem ser visíveis de boca fechada e caninos inferiores não devem sobressair. Mordedura em torques é aceito. Torções de mandíbula e prognatismo excessivos são consideradas faltas severas.

MAXILA / MANDIBULA: Devem ser largos, fortes e quadrados com caninos separados. Quando vista de frente, a mandíbula deve se mostrar bem marcada e com bom encaixe a maxila.

ORELHAS: As orelhas em formato de rosa inseridas sobre os lados da cabeça são preferidas. Orelhas caídas são consideradas faltas leves, desde que sejam pequenas e que não se assemelhem com as de um “hound”. Orelhas completamente em pé e que estão em cima da cabeça devem ser consideradas uma falta. Orelhas tipo Hound, pendulares e grandes são uma falta desqualificante. As orelhas podem ser naturais ou cortadas.

OLHOS: Devem estar em harmonia com a face, demonstrando uma expressão forte e marcante. Devem ser moderadamente afastados e de tamanho médio. Qualquer cor é aceitável, no entanto, os olhos louçados não são aceitos. Olhos deformados, esbugalhados, cruzados e assimétricos são considerados uma falta grave.

PESCOÇO: Curto, grosso, profundo e forte, bem arqueado, com pele justa mantendo a musculatura aparente e bem definida.

TRONCO: Musculoso, curto, largo com costelas bem arqueadas, bastante compacto ao limite que não comprometa a saúde do cão e sua locomoção.

DORSO: Os machos devem parecer quadrados e equilibrados. As fêmeas devem ser semelhantes tendendo a ter corpo um pouco mais longo. Dorso deve ser curto, plano ou levemente ascendente.

PEITO: costelas bem arqueadas (arredondado), peito largo e profundo. A profundidade do peito deve chegar até os cotovelos. Uma caixa vazia ou estreita deve ser considerada uma falta grave.

OMBROS: Largos e musculosos, dando a aparência de máxima substancia. Os ombros devem ser bem colocados e angulados. Ombros retos são uma falta.

CAUDA: Inserida baixa, lisa, sem pelos ásperos. O ideal é que a cauda atinja o jarrete. Caudas mais curtas, porém lisas e sem nó também são permitidas. A cauda longa deve ser portada baixa e nunca sobre o dorso. Caudas curtas, enroladas, torcida, nodosa, quebradas ou cortadas são consideradas faltas leves. Nenhum tipo de cauda é considerado uma falta grave ou desqualificante.

MEMBROS ANTERIORES: Pernas curtas, fortes, de ossos largos, mas não tão curtas que prejudique a atividade do cão. As pernas devem ser bem afastadas. Os cotovelos devem estar relativamente justos ao corpo, bem colocados, estes podem ser levemente arqueados. Antebraços: Muito robustos e fortes, bem desenvolvidos e musculosos, estes podem ser ligeiramente arqueados.  As patas devem ser preferencialmente retas, redondas e firmes, porém patas ligeiramente viradas para fora também são permitidas.  Metacarpos devem ser curtos e fortes, metacarpos fracos ou pés espalmados são considerados faltas.

A falta de massa óssea é muito indesejável. Cotovelos que estão soltos são uma falta grave. Pernas tortas são consideradas faltas e sua penalização vai de acordo com a gravidade do problema.

MEMBROS POSTERIORES: Os membros devem ser curtos e bem musculosos, com patas redondas. As pernas traseiras devem ter boas angulações de joelho, de modo a permitir uma boa movimentação. Pernas retas, pouco anguladas ou com jarrete de vaca são consideradas faltas e sua penalização vai de acordo com a gravidade do problema. Garupa, ísquio, coxa, articulação, angulação de jarrete, metatarso e patas devem estar em harmonia mostrando um exemplar muito forte, ao limite que não comprometa a saúde do cão.

MOVIMENTAÇÃO: Em virtude de sua máxima substancia essa raça não possui uma movimentação solta e leve. Sua marcha é de passos curtos e rápidos, as patas não se elevam muito quando o cão se movimenta. No entanto, os cães devem trotar sozinhos, cães que são arrastados ou que mostrem dificuldade de locomoção é uma falta, e dependendo da gravidade é uma situação de desqualificação.

PELAGEM: Pelo macio, de textura fina, curto, fechado e liso.

COR: todas as cores são aceitas com exceção do albinismo.

TAMANHO / PESO /ALTURA:

Machos: até 42 cm e 37 kg

Fêmeas: até 40 cm e 32 kg

A altura deve estar em harmonia com o peso; altura e peso acima do padrão devem ser desencorajados, o cão deve manter as proporções descritas com máxima substancia, sem perder seu aspecto “Bully” e atarracado. Os exemplares devem estar em boa condição física, obesidade não é algo desejável.

TEMPERAMENTO: O temperamento é muito estável, tornando-se um companheiro leal como um membro da família. Os animais desta raça gostam de agradar seus donos, são excelentes com crianças, muito afetuosos com seres humanos e sociáveis com outros animais. São cães de companhia.

FALTAS: Qualquer desvio deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde do cão.

FALTAS DESQUALIFICANTES:

– Todo cão que apresentar qualquer sinal agressividade com humanos.

– Desvios estruturais graves ou sinais de anomalias.

– Dificuldade extrema de locomoção.

– Características raciais insuficientes que fazem com que o cão como um todo não se pareça o suficiente com os seus congêneres da mesma raça.

– Narinas completamente fechadas

– Pelagem Longa

– Machos que não apresentem os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.


Todos os direitos reservados à IBC, informações não podem ser copiadas ou alteradas. Instituições que queiram fazer uso desse material devem entrar em contato com o clube.

Padrão escrito por Lincoln Fernandez, Beatriz Taques e Bruno Monteiro.

Traduzido para o inglês por Bruno Monteiro e revisado por Jose e Tawnya Lopes.